Atendimento: de 2ª à 6ª - 07:00 às 13:00 (MS)
(67) 3285-1359

Acessibilidade

A+
A-

História


O povoamento da região teve seu início em fins do Século XIX quando famílias de mineiros e goianos se instalaram nas cabeceiras dos córregos Marinbondo, Jatobá e Cervo, a 50 kms mais ou menos, a Nordeste de Campo Grande. 

Seu topônimo deriva do Córrego Jaraguari que nas proximidades de sua Confluência, onde se originou a povoação, passa a denominar-se Jaraguari. 

Em abril de 1910 seus moradores solicitaram ao Presidente do Estado a concessão de área para a formação do Patrimônio que se denominaria - Senhor Divino Espírito Santo. Em 28 de março de 1911 pelo Decreto 278, foi destinado uma áres de 3.600 has, nas cabeceiras do Marinbondo, Município de Campo Grande, para fundar a povoação de Jaraguari. 

A primeira casa construída no local pertenceu a Dona Maria Praxedes que logo foi imitada pelos demais. 

Em 08 de setembro de 1937 foi inaugurada uma capela, em alvenaria, sob a invocação do Senhor Divino Espírito Santo, em substituição à anterior, destruída por incêndio em 1930. Tendo sido celebrada a missa inaugural pelo Padre João Crippa, com a presença de Dom Francisco de Aquino Corrêa, então Bispo da Diocese de Cuiabá. 

Em 05 de junho de 1925, sua agência postal, instalado em 1920, foi incendiada pelos componentes da Coluna Prestes, que invadiram a vila de Jaraguari, naquele dia. 

A 07 de outubro de 1921 criou-se o distrito de paz de Jaraguari, Município de Campo Grande (Resolução 856) autorizando reserva de área de 3.600 has para colonização além das já reservadas para o rocio do Patrimônio. 

A 18 de janeiro de 1930, (Dec. Nº 898) o Governo do Estado reservou uma área de 8.702 has no lugar denominado Cervinho onde se formou a -Colônia Bandeirantes- a 24 kms de Vila de Jaraguari e mais tarde colonos japoneses formaram mais outra colônia agrícola com predominância de café transformada hoje no Distrito de Bom Fim. 

 

Gentílico: jaraguariense ou jaguariano